Home

Moldando o mundo para a inclusão e tolerância


Me dedico a moldar um mundo onde milhões de pessoas possam pensar e aprender de maneira diferente, conseguindo prosperar em casa, na escola e no trabalho.

Problemas com aprendizagem e atenção?


Uma em cada cinco crianças, apesar de um desenvolvimento cognitivo adequado para a idade, não consegue aprender.
Existem muitas causas para não aprenderem. Parte delas pode ser solucionada por ações na escola e em casa, outra parte necessitará da atuação de profissionais especializados.

Diferença entre Dificuldade de Aprendizagem e Transtornos


A palavra dificuldade deriva de “faculdade”, que significa “possibilidade”, “potencial”, “capacidade”. Portanto, dificuldade é a negação ou a falta de alguma habilidade. As dificuldades de aprendizagem não são decorrentes de problemas orgânicos ou psíquicos. Apesar de sua capacidade, a pessoa não desenvolve as habilidades necessárias para realizar a tarefa, o que é visto como dificuldade.
O transtorno de aprendizagem tem origem neurológica, está ligado a um grupo de dificuldades pontuais e específicas. Afeta a aprendizagem e o processamento das informações.
As causas mais prováveis dos distúrbios de aprendizagem incluem: lesão cerebral, alteração no desenvolvimento cerebral, fatores hereditários, alterações sensoriais, entre outras.

 

Principais transtornos de aprendizagem

Se os sintomas forem identificados precocemente, as dificuldades e transtornos de aprendizagem poderão ser tratados adequadamente e deixarão de causar constrangimento para as crianças e famílias.

 


Quando procurar um psicopedagogo?


Quando o aluno:

• Apresentar baixo desempenho escolar (notas baixas);
• Tem dificuldade em desenvolver atividades de raciocínio lógico/matemático;
• Tem dificuldade em seguir normas;
• Apresentar agitação e/ou irritabilidade excessivas;
• Tem aquisição lenta do vocabulário;
• Tem atraso no desenvolvimento geral;

• Faz inversão de letras, sílabas ou palavras;
• Tem leitura e escrita lentas para a idade;
• Tem letra ilegível;
• Tem falta de atenção, concentração e/ou memória;
• Tiver em recuperação/repetência escolar;
• Apresentar desmotivação e falta de interesse nos estudos;
• Tiver necessidades educacionais especiais

 

Dê ao seu filho ferramentas para o sucesso!


Sobre Mim


Mariangela é mãe, pedagoga, especialista em psicopedagogia, neuroaprendizagem e educação inclusiva. Trabalha há mais de 20 anos na educação e há 15 anos como psicopedagoga clínica.
Realiza atendimentos on-line, domiciliares e no consultório.


SAIBA MAIS

Veja o que as pessoas têm a dizer sobre o meu atendimento


  • A experiência que compartilho com os pais e responsáveis é mais comum do que se imagina. Tudo fica mais fácil quando encontramos profissionais competentes e dedicados como a Mari. Minha jornada começou quando identifiquei as dificuldades e baixo rendimento escolar da minha filha. Só consegui entender do que se tratava depois de procurar um profissional. Uma colega de trabalho, que passou pelo mesmo problema, me indicou a Mariangela. Ainda me lembro de um comentário dela: “As vezes, nós pais achamos que estamos fazendo tudo certo com nossos filhos. Mas, muitas vezes não percebemos que eles podem ter alguma dificuldade de aprendizagem”. Era verdade! Quando chegamos até a profissional, logo nas primeiras sessões, ela percebeu a falta de atenção da minha filha, que poderia ocorrer por muitas razões. A Mari nos encaminhou para um otorrino e um neuropediatra para realização de exames, confirmando os diagnósticos de Processamento Auditivo Central e Déficit de Atenção. A profissional iniciou as intervenções com minha filha de várias formas, acompanhando-a nos estudos, na superação das dificuldades e auxiliando na mudança para uma escola mais adequada. Hoje minha filha superou muitos obstáculos e está na fase final do tratamento. Como foi importante conhecermos uma psicopedagoga no momento certo, pois tivemos a oportunidade de diagnosticar e tratar precocemente os problemas, para superar as dificuldades da minha filha. Não tenho palavras para agradecer o carinho, dedicação e preocupação da Mari com minha filha.
    Luciana
  • Meu filho tem 8 anos e passou por um período difícil na escola em que frequentava, durante a fase da alfabetização, pois não tinha o apoio e carinho das professoras. Sua autoestima era quase inexistente. Foi diagnosticado com TDAH e começou a passar por atendimentos com a Mariangela. Quando ele iniciou a terapia, ainda estava com muita dificuldade de leitura e escrita. Hoje, com muito mais confiança, notamos que ele está se desenvolvendo a cada dia mais. Escreve e lê com mais autonomia e está mais interessado em realizar as atividades escolares. Vejo que a compreensão com as dificuldades que ele apresenta, o carinho e a atenção que a Mari tem nos atendimentos, faz toda diferença no desenvolvimento cognitivo do meu filho.
    Isaura
  • Minha filha faz acompanhamento neuropsicopedagógico com a Mari. Tudo começou com a dificuldade de realizar movimentos coordenados na escola de dança. No dia-a-dia ela caia com facilidade, derrubava coisas a toda hora e era “desastrada”. Também percebemos mais tarde que a desorganização se dava no raciocínio e na linguagem. Foi desta maneira que descobrimos a Dispraxia, uma dificuldade de coordenação motora global. Desde então minha filha tem sido muito bem atendida pela profissional, com a finalidade de atenuar os problemas com o equilíbrio e as desordens mentais no momento de executar ações sequenciais. O progresso da minha filha foi nítido. Ela tornou-se mais segura, confiante e concentrada . O trabalho da psicopedagoga foi primordial para abrir portas na escola, pois ela direcionou corretamente os profissionais sobre a abordagem que deveriam ter  e fez mudar uma situação difícil que minha filha passava. Diziam que ela era "apenas uma criança muito preguiçosa” e que não anotava todas as tarefas do dia. Gostamos muito do resultado. Minha filha conseguiu desenvolver-se em todas as áreas, principalmente relacionadas ao desempenho escolar, em que ela tinha muita dificuldade de escrever e raciocinar ao mesmo tempo. Agora ela já participa das aulas com mais confiança, entendendo melhor e conseguindo acompanhar a turma. Isso é reflexo do excelente trabalho desenvolvido pela Mari.
    Elaine Cristina e Marco Antonio
    pais da Beatriz Helenna